terça-feira, 6 de junho de 2017

Filmes de terror!

Mano, sério... Não consigo entender os filmes de terror de hoje em dia. Ou é tipo Centopeia Humana que você fica 3 noites sem dormir ou Anabelle que é uma história estapafurdia que nada faz sentido (inclusive o título do filme - vamô rever isso aí porque o único poder da boneca é o de teletransporte)... Não existe mais filmes igual Poltergeist, que você tem um medinho, mas acha engraçado. Ou algo como O Iluminado, que te dá medo, mas é curioso. Outro dia (bem outro mesmo - tipo ano passado) assisti o tal A Aparição... Ai começa o filme; a moça cisma: ah porque tem um espírito na minha casa, ah essa mancha na parede é espírito. Eu olhando e pensando: Moça, relaxa. Isso é espírito nada, é problema de mofo, conserta a infiltração que some. Ai o filme acabou (acho que determinado momento eu parei de prestar atenção e comecei a fazer outras coisas enquanto o filme rodava) e ai que no final o mofo vira uma moça dentro de uma barraca de camping dentro de um supermercado. Oiiiiiiiiii? Sentido, cadê você???

terça-feira, 30 de maio de 2017

10 anos de um espetáculo provavelmente bom!

E daí que depois de anos (uns 6 ou 7) eu finalmente fui rever o Improvável no teatro (e me empolguei a escrever). Há uns 8 ou 9 anos atrás (tô me baseando pela data do vídeo da Marianna Armellini no Só Perguntas #1 que foi um dos primeiros que eu vi mais ou menos na época) eu estava no YouTube procurando algo sobre o Rafinha Bastos (não lembro se cheguei a acessar a Página Do Rafinha, mas tenho recordação de alguns clipes de lá - um inclusive com o ex-rapaduriano Maurício Saldanha) quando descobri o Improvável ("um espetáculo provavelmente bom"). E assim meio sem quer querendo os Barbixas e seus convidados entraram em minha vida para torná-la mais alegre.

A história contada é que o nome Barbixas surgiu da incapacidade do na época meninos manterem uma barba. A Cia Barbixas de Humor é formada por Anderson Bizzochi, Daniel Nascimento e Elídio Sanna. O Improvável é um espetáculo completamente improvisado com sugestões da plateia. Feito com o que eles chamam de jogos de improvisação onde cada jogo tem sua regra. Cada apresentação eles trazem 2 convidados: um mestre de cerimônias e outro pra jogar com eles. Os vídeos no YouTube, que acabaram virando uma web-serie, era apenas pra divulgar o espetáculo. E esse ano o Improvável completa 10 anos.

Há 10 anos atrás eles vestiam qualquer roupa, não tinham músico e eram bem inexperientes nesse universo da improvisação. 10 anos depois a única coisa que não mudou foi o cenário. Todos os jogadores de tênis iguais, usam blusas lisas que em sua maioria conversa com o cenário. E além do músico, vemos as vezes a equipe de som e a de luz improvisando junto com eles. Óbvio que além dos cursos que eles fizeram nesse tempo, fica claro a química que os 3 desenvolveram no palco.

E claro que cada Barbixa e cada convidado tem suas características. Acho incrível a química que Dani e Lico (perdão a intimidade, mas é muito tempo assistindo esse povo) tem. Tenho a impressão que o Dani (principalmente no Cenas) interage sempre com o(a) convidado(a) ou com o Andy, mas quando ele quer algo mais "longe", ele chama o Lico. Já Dani e Andy no palco é aquela dupla que aquece o coração. Andy é uma espécie de super-herói que salva as cenas mais improváveis de serem salvas. Lico já é o rapaz sem pudores. O menino travesso e sem vergonha no melhor sentido da expressão. E Dani é o perfeccionista. Ele para, pensa, analisa e aí sai a piada (talvez desse contraste tão grande com o Lico sai essa química tão perfeita - os opostos).

Tantos convidados já passaram pelo Improvável que é impossível falar sobre eles. Tem os que gosto mais por gostar, tem os que eu gosto mais jogando, tem os que eu gosto mais como mestre de cerimônias e tem claro os que eu não gosto. Independente de os Barbixas ter certas duplas que funcionam mais, ver os 3 no palco contracenando é muito gostoso. Eles funcionam bem por si só. Tenho gastura de convidado que "quer mostrar serviço" e não deixa a química dos 3 funcionar por si só. Convidados que sabem a hora de entrar me agradam mais. Mari Armellini ainda é minha convidada favorita. S2 Grandes nomes já foram convidados: Marcio Ballas, Marcelo Tas, Rafinha Bastos, Ben Ludmer, Bruno Motta, Claudio Torres Gonzaga, Anne Celli, Cris Werson, Cersar Gouvea, Fabio Porchat, Marco Gonçalves, Marcela Leal, Carol Zoccoli, Murilo Gun, Oscar Filho, Daniel Tauszig, Allan Benatti, Edu Nunes, Andrei Moscheto, Rafael Queiroga, Gustavo Miranda entre outros.

Alguns vídeozitchos pra terminar esse post e vida longa e próspera a esse delicioso espetáculo. Meu beijo e fui.